Mulheres e crianças desamparadas no Afeganistão

23-08-2013 23:26

Vendida como noiva aos 12 anos, Sahar Gul vivia em uma casa do terror. Os parentes de seu marido a mantinham presa no porão, espacavam-na com canos de ferro quente e deixavam-na passar fome. Quando ela se recusou a se prostituir para conseguir dinheiro para eles, seus torturadores arrancaram suas unhas. 

 sentença dos seus agressores foi reduzida a apenas 1 ano de prisão e eles estão livres novamente! Pior ainda: a Câmara dos Deputados de seu país aprovou uma lei que proíbe que membros da família dos agressores testemunhem a violência em um tribunal. Isso fará com que inúmeras crianças e mulheres jamais consigam Justiça para seus casos. 

Quando era criança, Sahar Gul foi vendida pelo seu irmão por US$ 5 mil e levada para uma casa terrível onde era abusada regularmente. Quando finalmente foi resgatada, as torturas a haviam deixado tão fraca que ela teve de ser tirada do cativeiro no porão com o auxílio de um carrinho de mão. Após terem sido condenados a sentenças que juntas somavam 10 anos de prisão, seus torturadores foram posteriormente libertados por um juiz de uma instância inferior. 

Horrorizados diante do retrocesso dos seus direitos, grupos feministas afegãos passaram a apoiar ativamente o caso da jovem Sahar e a trabalhar juntos para garantir que familiares não sejam proibidos de testemunhar contra os agressores da própria família. 

"Afghan child bride Sahar Gul is appealing against the early release of the people who tortured her. The BBC's Sanjoy Majumder in Kabul considers what it means for the future of women's rights in the country."

http://www.bbc.co.uk/news/world-asia-23311414